Manuel Alegre

Nesta nossa rubrica intitulada ‘Poeta do Mês”, vamos destacar Manuel Alegre.
Esta dedicação especial, é feita ao homem que para além do reconhecimento como político e intelectual é apontado por muitos como o maior poeta vivo português.
Manuel Alegre de Melo Duarte, nasceu em Águeda a 12 de Maio de 1936.
Nesta cidade, fez a instrução primária e mais tarde, concluiu na cidade do Porto os estudos secundários.
Ingressou na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra em 1956, onde cedo se tornou dirigente estudantil e onde também se formou em Direito.
Em 1962, foi mobilizado para Angola e em 1962, foi preso pela PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado). Em 1964 partiu para o exílio e por lá acabou por ficar 10 anos.
Foi deputado por Coimbra em todas as eleições de 1975 a 2002 e por Lisboa a partir de 2002. Em 2004 foi candidato a Secretario Geral do Partido Socialista (PS) e em 2006, concorreu à presidência da República, como candidato independente. Em 2009 dá como terminado o último mandato como deputado à Assembleia da República, após trinta e quatro anos de Parlamento e em 2010, anuncia a sua candidatura às eleições presidenciais de 2011.
Apesar da sua vida política muito ativa, Manuel Alegre nunca abandonou a literatura, tendo uma vasta obra publicada e tendo recebido inúmeros prémios de reconhecimento.
Muitos dos seus poemas foram musicados e interpretados por ilustres cantores como Zeca Afonso ou Adriano de Oliveira.
Meritório na escrita, também é mestre em declamar, para tal Manuel Alegre alia uma forma única e apaixonada de interpretação a uma voz singular e majestosa.
Aqui vos deixamos, Manuel Alegre a declamar a sua própria poesia - “Trova Ao Vento Que Passa”, acompanhado à guitarra por outro símbolo da cultura portuguesa, Carlos Paredes.

Seja sociável, partilhe !

    Deixar uma resposta